Boletim Conexões em Luta 01.08.2016

cunha

Olympias Brasil

A palavra olimpíadas, tem origem semântica no latim e vem do termo olympias, sua definição de modo geral, expressa a competição em que se tenta demonstrar um determinado conhecimento numa área específica. Nesse ensejo, a política brasileira, coleciona especialistas nas modalidades mais desprezíveis em termos de compromisso com o povo brasileiro. O destaque da semana foi para Eduardo Cunha, colecionador de envolvimentos em corrupção: na Lava Jato, é réu em duas ações penais, acusado de receber propina de negócios da Petrobras. Ele também é investigado em outros três inquéritos por suposto uso do cargo para beneficiar aliados em troca de vantagens indevidas, o nobre jogador congressista, também foi denunciado por participação em um esquema de corrupção na Caixa.
Na última quarta-feira, (14), celebrou sua saída da presidência da câmara com um churrasco. Avalie você qual medalha esse atleta político merece.

Ainda para refletir as modalidades que a política brasileira apresenta, uma onda de assassinatos vem acontecendo com lideranças políticas na baixada fluminense (RJ), dez pré-candidatos a vereadores foram executados, o clima de tensão se figura na frase: “matar quem atrapalha”. Esse cenário é um alerta para aonde caminha a política brasileira, fora da legalidade.

E na Vila Olímpica, as delegações de vários países reclamaram das instalações e infra-estrutura, segue o Top 7 das queixas:
1 – “É natural que tenha algum ajuste a ser feito, mas vamos fazer os australianos se sentirem em casa aqui. Estou quase botando um canguru para pular na frente deles.” Eduardo Paes, prefeito da cidade do Rio.
2 – Imprensa alemã cita “lista de problemas dramática” na Vila.
3 – No mural da vila, atleta queniano desabafa: “Por favor, consertem meu banheiro”.
4Delegação da Austrália se nega a ficar hospedada na Vila Olímpica do Rio; delegação se queixa de problemas de eletricidade, água, gás e “muita sujeira” nas instalações. Inacabada, Vila tem abertura marcada por abandono de delegação e furto.
5Imprensa dos Estados Unidos adota tom crítico em relação aos Jogos Olímpicos.
6 – Comitê argentino faz criticas à Vila Olímpica: inabitável.
7 – Chefe de delegação argentina suspeita de sabotagem em obras da Vila Olímpica.

Se os governos do Pezão e Eduardo Paes tratam assim atletas olímpicos, imagine como é tratada a população menos favorecida das áreas carentes!

Anúncios

Boletim Conexões em Luta 25.07.2016

boletim
Foto: Felipe Barcellos

Bem-vindos ao Caos.

O Datafolha surgiu em 1983, dada a necessidade do Jornal Folha de São Paulo em quantificar a opinião do público sobre vários assuntos do cotidiano, mas no decorrer de sua trajetória ganhou independência e referência, como um dos principais institutos de opinião pública. No entanto, nesses últimos dias, ficou escancarado seu caráter enviesado para atender aos interesses do conluio golpista.
O destaque mais grotesco da pesquisa de um dos principais veículos de ampla circulação e defensora do impedimento foi afirmar que: apenas 3% dos brasileiros querem novas eleições e que 50% estão satisfeitos e querem que Temer continue na presidência, além de omitir parte da pesquisa para o grande público. A repercussão dessa pesquisa evidenciou a manobra política para manipular a opinião pública sobre os verdadeiros acontecimentos políticos do país. E evidência que longe de estarmos com uma democracia consolidada nossas instituições, ao contrário do que muito se afirma nos grandes meios de comunicação, está fragilizada.

Curiosamente, este mesmo jornal chegou a sair em defesa do “Fora todos”. A pergunta que fica é: o que motivou essa mudança de opinião a ponto de usar e elevar a máxima do jargão estatístico, “estatística é a arte de torturar os números até que eles confessem”. E eles sempre confessam. Talvez, um fato que a pesquisa deixou passar por “despercebido” é a ascensão do presidente Lula nas intenções de votos nas próximas eleições para 2018. O que a elite política anacrônica desse país não aprendeu nesses últimos doze anos, e não ouviram os clamores que começaram em 2013, é que a população brasileira, quer o aprofundamento da seguridade social e não o desmantelamento do aparato social do Estado.

Ainda sobre o aspecto da grande farsa instaurada há dois meses no país, um dos diretores da FIESP, entidade que financiou e apoiou explicitamente o golpe é o maior devedor da União, a dívida de Laudse de Abreu Duarte é maior que a de estados como Bahia, Pernambuco e mais 16 estados da União e corresponde a um montante de 6,9 bilhões.

Notícias como essa, escancaram que grande parte da população brasileira encontrou o som da batucada na panela, mas não a noção do que realmente está em jogo nesse país, e como diz a sabedoria popular, “numa mesa de jogadores se você não sabe quem é o laranja, provavelmente você é o laranja”. Parece que Dilma, acerta quando afirmou no último dia 18, que seu impedimento é para barrar as investigações de corrupção e salva guardar muitos envolvidos com esquemas de fraude.

No palácio da alvorada, o ataque aos direitos sociais não dorme! E a reforma da previdência está na mira do governo interino, a proposta central é desvincular o ajuste da aposentadoria ao salário mínimo, para se ter ideia do ataque que está medida representa aos direitos dos aposentados é válido explicitar que aposentadoria e pensão são pagas para 30 milhões de pessoas que garante não só o seu sustento mas colabora com o complemento de renda familiar, desses 30 milhões, 70% correspondem ao valor de um salário mínimo. Ao desvincular esse ajuste, o país opta por fortalecer as desigualdades sociais e ampliar ainda mais o abismo entre ricos e pobres desse país.

E dentro da tormenta, no caos de absurdos políticos, faltam praticamente uma semana para as Olimpíadas Rio-2016, e os professores cariocas já apresentaram o clima da cidade para os turistas e atletas que desembarcam no aeroporto do Galeão, o samba da retirada dos direitos e o esbanjamento dos gastos públicos com as Olimpíadas. Um contraste que apresenta o passado como futuro, uma ponte que atravessa com a retirada dos direitos sociais e avanço para o privilégio econômico de uma pequena parcela da sociedade.

Boletim Conexões em Luta 06.06.2016

Manifestante feminista atacada pela PM na Avenidade Paulista — REUTERS/Paulo Whitaker

Sem certeza que os 55 senadores que votaram pelo afastamento de Dilma manterão seus votos, Temer procura antecipar a votação no Senado para garantir a destituição da presidenta. Ainda, depois de Romero Jucá e, ironicamente, do ministro da transparência, caiu também o Advogado-Geral da União de Temer, o terceiro ministro a cair no governo golpista.

Temer perde no STF e Toffoli defere liminar a favor de Ricardo Melo, presidente da EBC ilegalmente exonerado do cargo pelo governo, o que lhe permite voltar às suas funções.

Temer proíbe o uso de aviões da FAB e comida do Palácio do Planalto para a presidenta Dilma Rousseff, aumentando o cerco contra ela.

Depois de pressão do MTST nas ruas, Temer sofre nova derrota e desiste de acabar com Minha Casa, Minha Vida. Após ato do MTST na Avenida Paulista, manifestação de feministas contra machismo e violência sexual foi marcada pela violência covarde da polícia militar.

Também foi aprovado pelo Congresso a pedido de Temer um aumento monstro para o funcionalismo público, o que embora beneficie servidores há muito sem reajuste, também favoreceu o crescimento dos super-salários — e representa perigo para as contas públicas, uma vez que custará mais de 50 bilhões aos cofres públicos nos próximos dois anos. A operação foi garantida pela aprovação da DRU, mecanismo que permite ao governo retirar recursos da área social e destinar para outras áreas.

Economia brasileira está em grave situação segundo relatório do próprio Banco Central. Embora o mercado ainda apoie Temer, a medida de aumento dos super-salários e a falta de uma agenda positiva não geram dados positivos: dólar e a bolsa não apresentam nenhuma melhora.

 

Boletim Conexões em Luta 30.05.2016

29mai2016---participante-da-parada-gay-em-sao-paulo-caminha-com-cartaz-em-protesto-ao-governo-interino-de-michel-temer-neste-domingo-a-parada-deste-ano-foi-marcado-por-gritos-de-fora-temer-e-146456
(Foto Reinaldo Canato/UOL)

Ocorreu no domingo 29 de Maio em São Paulo a vigésima edição da Parada do Orgulho LGBT: este ano, o tema foi a visibilidade dos transsexuais e a luta por uma lei de identidade de gênero, haja vista que o governo golpista ameaça derrubar o decreto de Dilma que permitia que transsexuais e travestis usarem seus nomes sociais. Sobraram protestos contra Temer e contra a investida conservadora no golpe.

Ao longo da semana, depois da revelação do áudio de Romero Jucá articulando o golpe contra Dilma, também apareceram áudios de Renan Calheiros e José Sarney conspirando pela saída da presidenta com o ex-senador Sérgio Machado, que aparentemente gravou todos a espera de algum acordo judicial –-o golpe de Estado ficou nu.

Além dos áudios envolvendo os caciques do PMDB, o MBL também se tornou a bola da vez, com a intercepção de conversas nas quais seu envolvimento com partidos políticos tradicionais foi revelado, quebrando o mito de “apartidarismo” do grupo.

Michel Temer já pedalou nos seus primeiros dias de governo.

Ministro da Educação do governo golpista recebeu em seu gabinete Alexandre Frota, estuprador confesso, para ouvir suas “propostas sobre educação” no mesmo dia em que uma garota foi estuprada por mais de trinta homens no Rio de Janeiro — advogadas da vítima tentam afastar Alexandre Thiers, o delegado do caso,  o qual em declarações culpou a própria vítima; Delegado que, por sinal, é o mesmo que participou de repressão a ativistas em 2014.

Em entrevista, Dilma diz que quem manda no governo Temer é, na verdade, Eduardo Cunha, presidente afastado da Câmara que responde a processo por acusações gravíssimas de corrupção.

Na Argentina, governo Macri registra sua primeira queda de popularidade e a crise na economia já põe em xeque suas políticas neoliberais dentro do seu próprio gabinete.

Boletim Conexões em Luta 23.05.2016

Áudios vazados de conversa entre Romero Jucá, Ministro do Planejamento no governo Temer, e Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, em março deste ano, sugerem que o impeachment foi artifício necessário para conter as investigações da Lava-Jato.

Juca

Foto: Givaldo Barbosa

Equipe do filme Aquarius, do cineasta pernambucano Kléber Mendonça Filho, representante brasileiro no Festival de Cannes denuncia o golpe no tapete vermelho e alerta para retrocessos institucionais, dentre eles o fechamento do Ministério da Cultura (MinC).

Depois de pesadas críticas de artistas de todas as vertentes, da seguida recusa de mulheres em assumirem a agora Secretaria de Cultura, das ocupações nas Funartes e Iphans pelo Brasil, Michel Temer volta atrás da medida e “recria” o MinC — com outro homem no comando e sem apoio da comunidade artística.

Na Virada Cultural de São Paulo, o grito de Fora Temer! toma conta de shows de artistas como Ney Matogrosso, Elza Soares, Criolo, Racionais MC’s dentre outros. Caetano Veloso faz show histórico no Rio de Janeiro protestando contra Temer e Cunha, contando com a presença dos deputados Marcelo Freixo e Jean Wyllys.

Dilma Rousseff fica se encontra em cerco militar no Palácio do Alvorada. Cunha, por outro lado, continua afastado da Presidência da Câmara, mas conserva poder e impõe líder de governo acusado de graves crimes — ao mesmo tempo em que, nas sombras, continua a dar as cartas sobre o novo governo.

Deputada Federal Luiza Erundina, em evento na PUC-SP, defende reconstrução do campo popular e oposição desde a sociedade civil contra governo golpista e o Congresso.

A jurista Flávia Piovesan é a primeira e única mulher até o momento a aceitar cargo no governo golpista, sendo alvo de inúmeras críticas dos setores democráticos e também de seus novos aliados.

Manifestações anti governo golpista tomam o país: Frente Povo sem Medo sitia casa de Temer, mas apenas a imprensa alternativa e a mídia internacional, sobretudo o The New York Times, cobrem os atos.

 

Boletim Conexões em Luta de 16.05.2016

Temer Transforma Brasil em República de Bananas
Temer Transforma Brasil em República de Bananas (André Persechini)

Senado aprova relatório da comissão especial do Impeachment e suspende mandato de Dilma Rousseff por 180 dias: Michel Temer assume a presidência e monta ministério exclusivamente formado por homens brancos e ricos, o qual ele já tinha montado antes mesmo do afastamento de Dilma, reforçando o caráter golpista deste processo.

O governo interino se apresenta já como “novo governo” e cogita corte de verbas na saúde, educação e cultura (que teve seu ministério fechado), o fim da Controladoria-Geral da União, órgão federal responsável pelo combate à corrupção, além de propor aumento da carga tributária, contrariando grande parte dos apoiadores do Impeachment.

Protestos ocorrem por todo o país contra o governo golpista, com dura repressão policial, enquanto a mídia internacional rechaça o gabinete de Temer: The New York Times, The Guardian e outros veículos de mídia endurecem críticas ao processo e se colocam a favor de Dilma — tanto que a própria Globo teve de reconhecer que a mídia internacional não é favorável à remoção de Dilma.

Enquanto isso, governo Alckmin continua a reprimir o movimento de secundaristas, desta vez usando da tese autoritária de que o governo não precisa de ordem judicial para invadir as escolas e prender estudantes (em sua grande maioria, menores de idade).

Evento na PUC-SP com Professor Reginaldo Nasser e Deputada Federal Luiza Erundina discute situação da criminalização da política no Brasil sob estado de exceção.

 

Boletim Conexões em Luta de 09.05.2016

Reintegração de Posse Estadão
Polícia arrasta estudantes na desocupação do Paula Souza (Foto: Leonardo Benassatto)

Em decisão inédita do STF, Eduardo Cunha é afastado da presidência da Câmara dos Deputados Federais pouco depois de ter conduzido a votação do Impeachment na Câmara (http://goo.gl/IUJK5C). Agora, tese de anulação do Impeachment volta a ganhar força (http://goo.gl/IUJK5C). Defensores do golpe assumem a tese de queda de Cunha fará bem ao “governo” Temer, muito embora esse só tenha conseguido se aproximar do poder pela atuação de Cunha (http://goo.gl/D6zsKX).  Jogo de bastidores e clima conturbado só jogam mais dúvidas sobre a afastamento e possível prisão do até então homem mais poderoso da república.

Apesar da queda de Cunha, Senado votará nesta semana a suspensão de Dilma depois de ter aprovado relatório da comissão especial que foi favorável ao Impeachment (http://goo.gl/pvlrgQ) — Senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) usada para embasar seu relatório pró-Impeachment citações de autores que defendem a inconstitucionalidade do processo ( http://goo.gl/VOtKln )

Movimento dos secundaristas em São Paulo prossegue ocupações, mas justiça autoriza algumas reintegrações de posse, inclusive com o uso de armas letais como no caso da ETEC Paula Souza (http://goo.gl/627v04), na qual estudantes foram literalmente arrastados para fora do prédio (https://goo.gl/io5lbZ). Ocupação da Alesp também é desfeita (https://goo.gl/azA8Q0) depois de semanas de brava resistência.

Governo do estado de São Paulo promete substituir bolachas e barras de cereal por “marmitas”, mas só a partir de agosto (http://goo.gl/sOSrh7). Enquanto isso, a CPI das merendas não sai, enquanto a luta dos estudantes prossegue (http://goo.gl/2VJDOW). Enquanto isso, no Rio de Janeiro, o número de escolas ocupadas sobe para quase setenta (http://goo.gl/cIgB61). Estudantes paraguaios saem às ruas e derrubam ministra da educação de seu país (https://goo.gl/HCmWRn).

Tocha Olímpica chega ao Rio de Janeiro, mas problemas do país ofuscam a realização dos Jogos Olímpicos — seja a crise econômica e política ou falta de organização para receber os jogos (http://goo.gl/AV1Iub).

Londres elege prefeito de esquerda, de família paquistanesa e muçulmano, se tornando a primeira capital ocidental a ser governada por alguém de fé islâmica (http://goo.gl/X8Ia9y). A esquerda britânica se manteve como principal força nas regiões, apesar de uma pequena queda na votação, enquanto a extrema-direita continua a crescer, desta vez tomando o espaço dos conservadores do premiê David Cameron (https://goo.gl/RnWzZC)

Boletim Conexões em Luta de 02.05.2016

 

Marcha antifascista
Foto CRIS FAGA: Marcha Antifascista na Praça da Sé, São Paulo

Em São Paulo, no Vale do Anhangabaú, a Presidenta Dilma Rousseff compareceu ao evento de Primeiro de Maio e anunciou redução da tabela do Imposto de Renda, o que beneficia os assalariados,  e o aumento do valor do Bolsa Família ( http://migre.me/tF914 ).

Núcleo Jurídico do Conexões em Luta lança manifesto encampado por juristas de todo país, o qual está em fase de recolhimento de assinaturas no Avaaz e se dirige ao Supremo Tribunal Federal (STF) para denunciar a inconstitucionalidade do processo de Impeachment ( http://migre.me/tF90s ).

Dois mil links em inglês para mostrar que a mídia internacional considera sim como golpe o atual processo de impeachment (via Fábio Malini: http://migre.me/tFaqY e http://migre.me/tFaYO ).

O brasileiro Maurício Lima ganha prêmio Pulitzer, o Oscar do jornalismo, e denuncia para o mundo o golpe de Estado no Brasil bem como o papel ativo da mídia no  processo ( http://migre.me/tFbCL ).

Ex-ministro Ciro Gomes denuncia o ataque aos direitos que se seguirá ao golpe, além de desmascarar a farsa do programa econômico defendido pelos golpistas ( http://migre.me/tFdss ).

Senado entra em semana decisiva na discussão do impeachment ( http://migre.me/tFb4U ), depois de ter visto a advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment, assumir que recebeu para redigir a peça ( http://migre.me/tFb6y ) e se contradizer, ao apoiar o impeachment de Michel Temer ao cair em pegadinha do senador Randolfe Rodrigues ( http://migre.me/tFbiP ) — o que reforça mais ainda o caráter o golpista do processo.

Michel Temer já articula formação do governo golpista antes mesmo da votação do Senado, a qual ele já considera vencida, e encontra apoio entusiasmado da mídia corporativa ( http://migre.me/tFbzv ). Direitos sociais entram na mira dos golpistas ( http://migre.me/tFbAl ).

A luta dos estudantes secundaristas prossegue, com a ocupação do Centro Paula Souza em São Paulo (  http://migre.me/tFa4P  ) e de outras escolas pelo país ( http://migre.me/tFaae ), denunciando a máfia das merendas do governo paulista e reivindicando melhores condições para o estudo.

Ainda em São Paulo, o governo Alckmin revida, fazendo com que os estudantes que ocupam suas escolas fiquem sem comida e passem frio — ao ligar o ar condicionado no máximo no Paula Souza ( http://migre.me/tFafm ) enquanto manda tropas de elite para intimidar crianças e adolescentes ( http://migre.me/tFanu ).

Marchas antifascistas tomam o país com alta participação de jovens ( http://migre.me/tFbIL ).